Tudo acontece para que nada aconteça

Tudo acontece para que nada aconteça

Todos temos sonhos, desejos e vontades. Falamos do quanto gostaríamos de que algumas situações fossem diferentes e escutamos os outros contando tudo que fariam se tivessem dinheiro, namorada, filhos ou companhia para viajar.

No plano da imaginação sonhamos alto, somos corajosos, mas na realidade temos muito a realizar e pouca disposição para arriscar. Por mais incômoda que esteja uma situação, ela é confortavelmente conhecida. Por isso, muitas vezes, permanecemos inertes ou repetimos sempre as mesmas atitudes que nos levam as mesmas circunstâncias. Isso porque o novo pode parecer perfeito, mas você nunca esteve lá e, portanto, é inseguro e exige coragem para arriscar.

A situação atual pode ser estressante, humilhante, monótona, mas é um terreno seguro, já conhecido. Há quem sofra anos com uma condição e, depois que ela termina, procura algo que a faça sentir da mesma forma. Algo que continua desagradável, mas não tão aterrorizante como o novo, sem manual nem experiência passadas. Sem perceber, buscamos sempre o repetido, mesmo que venha com fantasia, rostos e contextos diferentes.

Somos capazes de fazer movimentos mirabolantes para que a situação permaneça a mesma, por medo do que seria o diferente porvir.  Nos adaptamos ao casamento ruim, para não ter que enfrentar uma vida de outra forma; permanecemos no trabalho frustrante, porque não queremos entrar em outro sem garantias; e, no final, mudamos muito, para continuarmos os mesmos. Tudo diferente para permanecer tudo igual. Esse é o lema.

O novo pode ser assustador, mas só ele pode te levar a novos caminhos, talvez mais próximos dos seus sonhos e desejos. O fundamental é perceber primeiro que não somos azarados nem temos um karma que nos persegue, mas que temos responsabilidade sobre o que acontece em nossa vida. Segundo, se dar conta que a energia gasta para não mudar é a mesma gasta para arriscar e tentar alcançar nossos objetivos. Um pouco de coragem e consciência pode nos levar além. Só depende de nós.


Undefined_2fjoana Joana Cardoso

Joana Cardoso é psicóloga, formada pela PUC-Rio, com formação em Psicoterapia Familiar Sistêmica Breve. É membro titular da ATF –Rio. No seu consultório faz atendimentos individuais, familiares e de casal. É supervisora clínica na instituição Nucleo-Pesquisas. Além do Sala de Ideias, escreve para o site da Disney Babble e para o Superela. É sócia fundadora do projeto Véspera, que prepara casais para a vida a dois.

joana@saladeideias.com.br

Escreva para a gente

Icontalk POR AQUI