Papo gula

Sala de Jantar

Carioca da gema, atleta amadora, apaixonada por gastronomia e por um estilo de vida saudável, a psicóloga e blogueira Maria Rocha criou o site Papo Gula para dividir receitas, dicas de treinos e estímulos motivacionais para quem busca viver uma vida mais leve. Veja o que ela tem para contar para nós:

1) Como foi a sua "virada" na direção de um estilo de vida saudável?

Sempre tive um exemplo dentro de casa: meus pais desde sempre levaram uma vida equilibrada e saudável. Dizem que “santo de casa não faz milagre”: no meu caso, isso se encaixa perfeitamente, pois eu realmente só entrei na vida saudável quando eu encontrei o meu ponto de equilíbrio, quando eu quis emagrecer! Depois de tentar inúmeras dietas e não se adequar a nenhuma, eu diria que eu encontrei na corrida o ponto chave para eu me manter em uma vida saudável. Não acredito em nenhuma dieta radical, acredito que cada um temos que encontrrar a “dieta” que a gente possa sustentar nossa vida toda, e não apenas por algumas semanas e se tornar refém do efeito sanfona.

2) Como encontrou motivação para incorporar essas mudanças na rotina? E de onde vem a motivação no dia a dia?

Diria que a minha motivação vem de dentro para fora, eu mesma construí ela! Hoje em dia, ter um estilo de vida saudável já faz parte da minha vida, eu não faço nenhum esforço para isso. Acordar e fazer um treino de corrida ou ir malhar é que nem beber água, pentear o cabelo. Se eu não fizer, realmente faz falta. Consegui encaixar o exercício na minha rotina de uma forma que vou levar ele para a vida inteira. Uma outra coisa à parte, que eu diria que me motiva muito, é abrir o Instagram e olhar meus seguidores nas hashtags #papogula e #papogularun se esforçando para alcançar seus objetivos.

3) Você é psicóloga e usa o esporte como tratamento complementar para seus pacientes. Como isso se dá? Em que medida o esporte influencia a saúde emocional das pessoas?

Sempre digo que o esporte é cura para tudo, pois ele muda sua vida de uma forma que você consegue estar preparado para diversas situações na vida. É claro que cada caso é um caso, mas uso muito o esporte no tratamento da dependência química, acredito que o esporte motive a pessoa, faz ela acordar e buscar outros prazeres que não seja a droga. A droga não combina com o esporte, pois, para a pessoa conseguir se dedicar, ela tem que abrir mão. O esporte faz a pessoa ter mais confiança, se sentir segura e capaz de enfrentar diversos problemas. Quando você domina algo no esporte, isso te traz uma auto-confiança incrível, você passa a se valorizar mais e encarar a vida de outra forma.

4) Como surgiu a ideia do blog? Veio junto com a sua mudança de estilo de vida ou depois que "deu certo" que você resolveu compartilhar?

O blog surgiu antes da minha conta no Instagram. Criei ele sem pretensão alguma, apenas para dividir minhas receitas, dicas e outras coisas. No final das contas, o blog me ajudou a lidar com a comida de outra forma: eu era muito ansiosa, e começar a elaborar receitas e cozinhar fez com que eu lidasse com a comida de outra forma. Criei o Instagram como um veículo para postar as coisas que colocava no blog. Foi dando certo, porque, através do Instagram, os seguidores viam a pessoa que estava por trás daquelas receitas e por isso queriam fazê-las. Minha mudança de estilo e de vida veio junto com o Instagram e o blog.

5) Você também divulga no blog histórias de pessoas que mudaram sua rotina na seção "Antes e Depois". Você percebe nelas algo em comum na hora "clique" de que têm que mudar de vida?

Acredito que através das histórias as pessoas se identificam e lá buscam uma motivação para começar. O “clique” vem justamente quando a pessoa quer emagrecer, pois não existe médico, nutricionista, SPA, personal que faça a pessoa mudar sem ela querer. De todas as histórias que ouvi, o “clique” vem quando a pessoa cansa de estar naquela situação.

6) Muita gente que emagrece relata grande dificuldade em manter o novo corpo. Como evitar o "efeito sanfona"?

As pessoas tentam milhões de dietas que levam elas a emagrecer em curto prazo. Esse radicalismo faz as pessoas se tornarem reféns do efeito sanfona. O nosso corpo é para ser usado como o nosso maior aliado, por isso temos que encontrar uma “dieta” ou um estilo de vida que a gente carregue para sempre.

7) O que você aconselha às pessoas que dizem ter uma vida muito agitada e não conseguem encaixar os exercícios físicos na rotina?

Olha, acredito que quem quer sempre dá um jeito. Essa dificuldade é igual para quase todos nós. Muitos de nós trabalhamos, temos um dia atarefado entre estudos, trabalho e vida pessoal, mas a escolha de fazer um esforcinho e encontrar um espaço para o exercício é sua. É muito mais fácil encontrar desculpas do que soluções, empecilhos a gente SEMPRE arruma, mas quem se prejudica somos nós mesmos. O meu conselho é: se você quer mudar, faça um esforcinho, faça algo diferente do que está fazendo, pois o resultado acaba trazendo mais vontade ainda de continuar.

8) Como você entende a autossabotagem de uma pessoa que esteja fazendo dieta e "burla" o cardápio em toda oportunidade? Isso existe? Como evitar?

Muitas pessoas se sabotam, e por isso não conseguem emagrecer, todas elas se tornam vítimas da dieta. Percebo no discurso das pessoas que o problema é a dieta, o cardápio, o nutricionista, mas nunca elas mesmas! Rsrs. Acredito que a pessoa tem que querer mesmo mudar de vida, assim a dieta passa a ser uma aliada e não uma inimiga. A autossabotagem vira uma válvula de escape para não cumprir a dieta.

9) Como alcançar um equilíbrio na vida? Como conseguir manter o corpo saudável e conseguir aproveitar a festa de uma amiga cheia de guloseimas, uma festa de casamento, por exemplo?

Acho que o equilíbrio é tudo na vida de uma pessoa, eu não tenho nenhuma fórmula mágica para isso, acredito que cada um encontra o seu ponto de equilíbrio. Ter regularidade na sua alimentação e nos seus exercícios físicos te permite dar uma escapada de vez em quando sem ter nenhum prejuízo. Eu, por exemplo, não abro mão de chocolate nem de doce, mas aprendi a não comer descontroladamente, por isso me permito comer todos os dias uma quantidade pequena. Eu sempre digo que a minha refeição de segunda-feira é igual à de sábado: eu não mudo, apenas tento equilibrar. Quem convive comigo sabe que eu não sou nada radical, eu sou apenas uma pessoa disciplinada, que tem como filosofia de vida o equilíbrio entre a saúde e o prazer. Não deixo de aproveitar nada que me proporcione prazer e felicidade, e a minha vida saudável está dentro disso!

10) São muitos os blogs, as contas de Instagram e as blogueiras de fitness. Você acha que é uma moda que veio para ficar? Por quê?

Acredito que no momento esteja rolando uma “onda” fitness, que é bom para motivar aqueles que querem mudar seu estilo de vida. Com certeza o fitness é uma moda atual, mas acredito que a moda de cuidar da saúde veio para ficar e isso vai ser cada vez mais importante para a atualidade e futuras gerações.


Undefined_2fimg_8688 Fabiane Gori Curvo

Psicóloga, formada pela PUC-Rio. Especializada em Terapia Cognitivo Comportamental e pós-graduanda em Psicologia Positiva. Tem experiência na área de Terapia Dialética Comportamental, que ajuda na redução do estresse e na regulação emocional. Seu foco é no atendimento clínico individual e em grupos terapêuticos que realiza em seu consultório na cidade do Rio de Janeiro.

fabiane@saladeideias.com.br